In the Closet
Bem vindo ao Fórum In The Closet, espaço dedicado ao Rei Do Pop!!!

Registre-se para ter acesso ilimitado a todo conteúdo do fórum. É fácil e não leva nem um minuto.

Enjoy!!!


In the Closet

Espaço dedicado a Michael Jackson e aos seus fãs
 
InícioPortalCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

  “Paul McCartney admite que os Beatles forjaram a morte dele”, diz matéria

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Raquel M.K.Jackson

avatar

Mensagens : 73
Reputação : 0
Data de inscrição : 26/09/2011
Idade : 23
Localização : são paulo

MensagemAssunto: “Paul McCartney admite que os Beatles forjaram a morte dele”, diz matéria   Qua Set 28, 2011 8:15 pm



Boa Tarde!

Please não se espante com o título, pois o assunto pode ser mais importante do que você possa imaginar

Quero pedir a sua atenção para algo realmente incrível, e que fez meu dia ganhar cores de loucura com chocolate.

Você pode ter a idade de quiser, assim como profissão, raça, sexo, cultura e valores. Mas uma coisa é certa: você já ouviu falar sobre alguma Teoria Conspiratória, a não ser é claro que você more dentro de uma caverna, ou esteja completamente por fora do mundo.

Não se ofenda com isso, mas é praticamente normal ouvir “Elvis Presley não morreu”, “11 de Setembro foi armado pelos próprios EUA, que tem ligação com Iluminattis”, “Kurt Cobain foi assassinado” e por ai vai.

Não é novidade para ninguém que Elvis não morreu, assim como Paul McCartney que também teria morrido, e que hoje existiria um sósia no lugar dele. Você já ouviu falar sobre isso? Não precisa ser necessariamente fã dos Beatles, para ter ouvido isso por ai.

Sim, os fãs são loucos!

Mas cuidado para julgar alguém, antes de pelo menos PARAR para ouvir o que ela tem a dizer. Quando você diz algo, você não aprende nada, caso contrário o professor não estaria em pé na sua frente.

Agora escute! Acreditando nessa matéria abaixo ou não, seria “feliz” de sua parte pelo menos ler por cima. Não é necessário ir muito longe para encaixar as coisas, e perceber que pelo menos 50% das coisas tem sentido. É fundamental ler pelo menos 10% disso, para começar a olhar a morte de Michael com outros olhos. Se é que você ainda tem alguma dúvida.

Em 2004 Paul McCartney SUPOSTAMENTE admite que os Beatles “forjaram a morte” dele, com o objetivo de fazer as vendas dos disco subirem.

Ou seja: golpe de marketing

#rialto

Leia!

“Paul McCartney admite que os Beatles forjaram a morte dele”


por Bruce Spizer (Publicado originalmente em abril de 2004)

Durante umas férias rápidas em Nova Orleans, Paul McCartney baixou a guarda e admitiu aquilo que alguns fãs dos Beatles suspeitaram por anos. Ele confirmou que o “Paul está morto”, assim como as pistas encontradas em várias capas de álbuns dos Beatles, e canções que foram deliberadamente plantadas pelo grupo, faziam parte de um esquema elaborado no verão de 1966.

De acordo com McCartney, o plano foi formulado pelo empresário Brian Epstein. ”Brian descartou de cara o nosso novo single Paperback Writer”, “Ele não gostou nem um pouco, dizendo que não era uma canção de amor” disse ele. Ele estava preocupado com a imprensa e com os nossos fãs, então ele nos disse: “As pessoas querem canções de amor. Eles não vão gastar o dinheiro com uma canção sobre um escritor de novela. Vocês rapazes vão explodi-lo se derem isso como presente”. Insistimos que “Paperback Writer” seria o nosso próximo single, e falamos para ele que a música representava o novo rumo da nossa carreira.

Quando contatado em Londres, o ex agente dos Beatles confirmou a preocupação de Brian. ”Brian queria canções de amor tradicional. Ele tinha dito a Paulo para vir para cima com outro ‘Yesterday’ ou ‘Michelle’ como o próximo single”. Imagine sua surpresa quando ouviu “Paperback Writer” e “Rain”. Não só não eram canções de amor, mas eles eram tão altos! Nós não sabíamos disso na época, mas os Beatles haviam gravado o primeiro single metal pesado. Não exatamente ‘Till There Was You “ou” A Taste Of Honey “. Eu estava preocupado, também. Eu me perguntava: “Será que os meninos estão indo longe desta vez?”

Brian tornou-se ainda mais preocupado quando ele imaginou um álbum cheio de canções não convencionais. Devido ao seu preço mais elevado, os jovens especialmente aqueles no Reino Unido, foram muito cuidadosos sobre a compra de álbuns. É por isso que os Beatles, muitas vezes emitiu um EP de um álbum que contém quatro de suas melhores faixas. Então, Brian surgiu com um plano para ajudar a vender os álbuns, mas ele estava consciente sobre o rumo perigoso disso. Paul explicou: “Quando eu disse a ele que os futuros álbuns seriam dominados por canções sobre pessoas interessantes e lugares, seu coração se afundou. Ele não achava que as pessoas iriam comprar esses álbuns, e veio com essa ótima idéia para impulsionar as vendas”. “A idéia era que nós plantássemos pistas em nossas músicas e capas de álbuns, onde sugeria que um de nós tinha morrido em um acidente de carro”. “Se depois de alguns álbuns, nossos registros não estavam vendendo bem, a gente vazava palavra com pistas, e deixava nossos fãs e a imprensa comentar o assunto. Então as pessoas iam comprar o álbum para ouvir as pistas”. “Nós pensamo: Uau, isso é uma ideia incrível!”. “Nós percebemos que seria muito divertido ter todas aquelas pistas desconhecidas, até o momento que as pessoas iam começar a procurar e discutir sobre elas”

Tony Barrow também pensou que o plano foi brilhante. “Nada ergue carreira de um cantor, como sua morte”, disse ele. “Você realmente acha que Buddy Holly teria sido tão famoso se não tivesse morrido naquele acidente de avião?”. “Mesmo para Richie Valens e certamente com um hit número um após a sua morte, chamado de ”Chantilly Lace”. E quanto Otis Redding? Ele nunca teve um hit número um, até ele morrer em um acidente de avião”. O fato de Brian surgir com esse plano de um acidente de carro mostra sua genialidade. Acidentes de avião não eram normais naquela época “.

Tendo vendido a ideia para o grupo, os Beatles tiveram que decidir qual deles era quem ia “morrer”. Brian queria que a vítima fosse Ringo porque ele era o Beatle mais populares no mercado dos EUA, mas o baterista não queria fazer isso. Tony Barrow lembra, “Ringo recusou a fazer isso”, ele disse: “Ser pintado de vermelho em um filme é uma coisa, mas fingir estar morto é outro. Eu sou supersticiosa. Essas pistas podem fazer isso acontecer de verdade”. Brian estava decepcionado porque ele sabia que o Ringo era o mais simpático.

Com Ringo e George não disponíveis para “morrer” para o bem do grupo, ele apontou para John e Paul. Paul lembra: “John queria ser o Beatles morto, mas desta vez eu não cedi a John como eu fiz sobre os créditos de compositor. Eu pensei que deveria ser eu porque eu era o segundo Beatles mais popular”. “Brian concordou que deveria ser eu, porque ele estava preocupado que uma vez que as pistas se tornassem conhecida, as pessoas poderiam pensar que era uma brincadeira, ou se John foi supostamente morto”. Então Brian disse: ‘Ninguém suspeitaria que Paul aparentemente previsse a sua própria morte, pois eles acharam que John era o único inteligente. Sendo assim eu tive que morrer..”

“..suspeitaria que Paul aparentemente previsse a sua própria morte”


Já vi isso em algum lugar!

- Michael previu sua morte em 2002

- Elvis Presley também previu sua morte

E etc…

[CONT..]

Poucos dias após o “Paperback Writer”, o grupo estava no escritório quando Brian chegou com o fotógrafo Bob Whitaker, e com as imagens da sessão de açougueiro. Brian Whitaker pediu para fotografar a imagem de Paulo em um baú para simbolizar ele morto em um caixão. Paulo retoma a história. ”Bob achava que era muito direto, então ele sugeriu que eu ficasse para cima do caminhão, e me sentar nele com o pé contrário. Dessa forma, seria só olhar como eu estava deitado em um caixão se a capa fosse virada de lado. Bob tinha que colocar Ringo com a mão na tampa da mala, simulando que ele estava fechando o caixão”. “Brilhante!” Brian nos disse para lançar algumas pistas em nossas músicas. Imediatamente John veio com “Eu estou apenas dormindo,” como se “Paul não está morto, ele estava apenas dormindo.” Paul diz: “Muito sutil. A maioria das pessoas perdeu essa pista, e ela foi uma das primeiras pistas!”

A foto do “caixão tronco” foi enviada ao Capitólio para servir de cobertura para o álbum. Mas quando vi a capa de Brian, ele começou a ter segundos pensamentos sobre o uso da foto.Ele estava preocupado que as pessoas pudessem suspeitar que Paul estivesse morto muito mais cedo, do que o grupo queria que pistas fossem descobertas. Então Brian enviou a foto sabendo que ela poderia ser rejeitada, mas pelo menos iria desviar a atenção da tampa do caixão. O plano funcionou com tanta perfeição e causando tanta polêmica, que quando foi “substituído” pela tampa do tronco, ninguém percebeu que Paul estava deitando em um caixão!

Desculpa, mas eu ri!

Não é incrível como a imagem abaixo realmente parece ele em um caixão, quando viramos a capa do cd para o lado horizontal? Era esse o objetivo?!



Uma das grandes estratégias veio de Robert Freeman com o nome “Revolver”. Paul explica que “Revolver”, veio com uma grande imagem da capa, mas não havia nenhum indício de morte nele. “Pedi para Klaus para fazer isso com uma caneta e tinta, e com uma colagem de fotos para que pudéssemos jogar algumas pistas. Eu pedi para colocar uma imagem do meu rosto no meu ouvido”, que representou um “besouro” rastejando para fora da orelha do meu cadáver enterrado”, diz Paul. “Você sabe, insetos entram em caixões e nos corpos dos mortos, rastejando através de órbitas, aberturas de ouvido e similares. Muito assustador e muito sutil”, diz Paul. “E a outra pista veio de Klaus que pediu um desenho de meu rosto, em um perfil de lado olhando para a esquerda. Os outros foram tirados olhando para frente. Quando você gira a capa do seu lado, eu estou olhando para cima, assim como se eu fosse enterrado no subsolo. Nós realmente dizemos que essas pistas aparecerem quando você virasse nossas capas para os lados. Estou surpreso que ninguém chamou os “Revolver” como pista”.



De acordo com Tony Barrow houve uma outra pista plantada em “Revolver”. “John via essa música como realmente estranha porque de fato não tinha um título, então ele chamou de “Mark I”. “ Mais tarde ele veio com “The Void”, para simbolizar o vazio deixado no grupo com a morte de Paul. “Ringo achava que era muito sutil, por isso ele veio com a frase perfeita para descrever a direção do grupo sem Paul que estava morto, com a descrição da música “Amanhã nunca se sabe”.

No momento em que os Beatles gravaram “Sgt. Pimenta” o plano realmente decolou. Tony Barrow lembra: “Brian pensou que “Tomorrow Never Knows” fosse tornar isso muito óbvio. Você pode imaginar o medo de um álbum inteiro de canções assim. Então a música “Pimenta” seria visto como bobagem pretensiosa! Ele disse aos meninos para jogar várias pistas sobre essa canção”



Jesus Christ!

Olha a capa do álbum, e veja se as flores realmente não lembram rosas de um túmulo?



A primeira canção gravada para era “Strawberry Fields Forever “, embora ela acabou sendo usada como um único. No final da canção, John ia repetir de forma proposital “Eu enterrei Paul” várias vezes, mas como era muito óbvio, então ao invés disso ele disse: “cranberry sauce”, e então murmurou algumas palavras para que “Eu enterrei Paul” soasse como “Eu estou muito aborrecido”. O plano funcionou, assim como demorou mais de dois anos até que alguém percebesse, o que ele estava realmente querendo dizer.

Mais tarde outras músicas também tinham pistas. Paul admitiu que “Ela está deixando a casa” continha o tempo em que o acidente de carro supostamente ocorreu: “manhã de quarta-feira às cinco horas enquanto o dia começa. A linha “Encontro um homem do comércio”, amarrado em um veículo a motor. E claro, “A Day In The Life” era sobre um acidente de carro. De acordo com Paul, as referências à drogas eram apenas uma cortina de fumaça para desviar a atenção do acidente de carro. ”Ele soprou sua mente fora de um carro” poderia significar sua cabeça foi esmagada, ou ele estava usando drogas. Faça a sua escolha”

A capa estava cheia de pistas: o carro falhando; o baixo de Paul é feito de flores; Paul tendo as costas para a câmera na capa traseira, a mão sobre a cabeça de Paul, e o uniforme de Paul “OPD”, que era o favorito de McCartney. ”Tivemos que trabalhar duro para isso. Alguém disse para João que as letras da OPD representavam “morte” oficialmente pronunciada. “Me lembro que eu tinha esse uniforme “OPP” do Canadá. Eu acho que era para pronunciar “Ontario Police Precinct”, ou algo parecido. Então eu tive a idéia de colocar a logomarca na manga do meu uniforme, e tirar a fotografia de modo que a parte inferior do segundo “P” não fosse visível, tornando assim parecido com “OPD”. Fiquei bastante satisfeito com a maneira que saiu. “

Embora as vendas de “Revolver” e “Pimenta” fizeram Brian perceber que as pistas provavelmente não eram necessárias para vender discos, o grupo continuou criando mais pistas e muito mais. De acordo com Paul: “Era tão normal chegar com pistas que continuamos fazendo isso, mesmo que eu pensasse que aquilo não era o único fator necessário para fazer os álbuns venderem”. “Foi divertido, travesso e grande!”. “Quando Brian morreu, nós realmente fomos à loucura com ele, com a turnê “Mistério Mágico”. “Eu queria usar uma flor negra na minha jaqueta. A florista Alistair Taylor ficou louca quando ele insistiu que nos enviasse um cravo preto”, diz Paul. “Nós nos tornamos pessoas preocupadas, quando viram o livreto da turnê “Magical Mystery”, porque as pistas eram tão evidentes!”

Paul afirmou que a colocação das pistas nas canções foi ainda mais divertida do que as imagens visuais. ”Ringo tinha essa velha canção, “No Pass Me By”, que havia se recusado a gravar durante anos. Mas percebi que poderia ser usada como uma pista. Eu lhe dei o seguinte trecho: “Você estava em um acidente de carro, e você perdeu seu cabelo. E nós fizemos uma grande coisa com laços de fita para trás e resmungando. John vai “Paul é um homem morto, sinto falta dele, sinto falta dele.”

Damn!

“Paul é um homem morto, sinto falta dele, sinto falta dele.”


(risos)

Isso te lembra algo?

No rap “Made Niggaz” Tupac diz: “Dane-se quem não entende meu plano para enriquecer, fora da lei na sepultura. Guarde minha foto”.

No rap “Ain´t hard 2 find” Tupac diz: “ouvi rumores de que morri assassinado em sangue frio, mas foi ficção, a história foi alterada”

[..]

Algumas das pistas eram fáceis e óbvias. ”Glass Onion” de João até disse aos fãs o que estava acontecendo com a frase: “E aqui está outra pista para todos vocês, o fator era Paul.” Porém, alguns eram bastante complicados.

FOCO AQUI!

De acordo com Paul o mais difícil foi “Revolution 9″. “Nós tivemos que vir acima com uma frase do número 9, quando você toca de trás para frente”. “Nosso plano era ter o “Número 9″ no registro, mas quando você tocava de trás para frente soaria como “Paul está morto.” Quando gravamos “Paul está morto”, e jogamos de trás para frente, soava mais como “Teorema de Pitágoras.” A frase “Macca está morto”, soava como “Termo nuclear” quando jogado para trás. Nós experimentamos por horas até que Alan Parsons veio com “Turn me”, que quando jogado de trás para frente, soava sobre um homem morto”. “ Quando invertemos a fita que soava como se ele estivesse dizendo “Number 9, número 9”. “Então é assim que nós fizemos isso

WTF!

“Nós experimentamos por horas até que veio “Turn me”, que quando jogado de trás para frente, soava sobre um homem morto”


Já falei tanto sobre isso aqui, mas nada é mais delicioso do que relembrar isso.

>> Mensagem subliminar <<

O que é a mensagem subliminar?

É exatamente isso que ele descreveu acima: você pronuncia a letra de uma música, mas quando ela é colocada de trás para frente recebe outro sentido.

Se lembra?

- Mensagem subliminar em This is it: “Quem está vivo garota”?

- Mensagem subliminar em Another Day: “ Eu estou bem. Eles me colocaram contra a parede”

- Mensagem subliminar em Opis None: “Me salve, vivo! Eles machucam meu coração”

Todas as músicas foram lançadas PÓS morte de Michael, com excessão de Opis None que foi lançado anos atrás, para curiosamente receber um remix PÓS morte dele. O propósito disso? Inserir a mensagem subliminar, claro.

Admiro quem consegue ignorar e duvidar disso, quando está claramente ÓBVIO que é a voz de Michael, onde por “coincidência” fala sobre morte, ameaças e etc.

Como podem ver amados, isso é mais comum do que você pensa! Ingênuo é aquele que não acredita nisso, sorry.



[CONT..]

Abbey; engenheiro de estrada de Alan Parsons; lembra a sessão também. “Passamos horas fazendo, e criando frases diferentes até que eu tive a sorte em “Turn me”, e assim soar como um homem morto. “ Quando joguei a fita para trás e ouvi “Número 9″, bem, foi um dos maiores momentos da minha vida! Estávamos todos jurando segredo sobre as pistas, mas agora que Paul deixou o gato fora do saco, eu posso falar sobre isso. Eu mais tarde gravei a minha própria música sobre a procura de pistas, “Eye In The Sky”.

“Passamos horas criando frases diferentes, até que eu tive a sorte em “Turn me”, e assim soar como um homem morto”

Isso é coincidência?

Como podem ver o processo de mensagem subliminar funciona apenas com um único objetivo: enviar uma mensagem! Por isso até as palavras pronunciadas são escolhidas, para quando ao inverter tenham outro significado

Se dúvida, então reverta você mesmo.

[CONT..]

O último lote de pistas foram plantadas na capa do álbum de “Abbey Road”, que foi projetado por Paul. McCartney surgiu com a idéia de seu próprio funeral. George, no papel do coveiro e vestido com roupa de trabalho, Ringo, o agente funerário e usava um terno preto, John, o anjo e usava branco. Paul estava descalço, como é costume em várias culturas para enterrar pessoas sem seus sapatos. Em um toque sutil, o canhoto McCartney colocou um cigarro na mão direita. Assim deixou a entender que o Paul que estava no grupo desde meados de 1966 foi um impostor”



OMG!

“Paul estava descalço, como é costume em várias culturas para enterrar pessoas sem seus sapatos”

Isso é coincidência?

Seja louco, mas não estúpido! [i][/i]

[CONT..]

Paul lembra que “Abbey Road” foi um pista com carinho. ”Eu sempre gostei de trocadilhos, então eu queria ter um fusca me representando. Alistair Taylor arranjou com um amigo seu, para estacionar o seu VW Beetle na rua do estúdio. Alistair e eu colocamos uma placa de licença especial, que tinha sido feita na noite anterior. Ele disse que a placa “28 IF”, que significa que eu teria 28 anos se eu tivesse vivido. Infelizmente, eu pensei mais sobre isso. Eu tinha apenas 27 na época, mas eu disse para Alistair para pintá-lo como 28, porque eu não acho que “Abbey Road” sairia até que eu tivesse 28 anos. Isso porque eu tinha certeza que o “Get Back” do álbum sairia primeiro. No momento em que decidimos lançar “Abbey Road” em primeiro lugar, eu tinha esquecido essa dica, então nós não tínhamos a imagem alterada para ter a placa de ’27 IF. “



Quando João disse aos outros que estava deixando o grupo, Paul começou a pensar que era hora de expor as pistas. ”Eu estava sempre nervoso antes de um disco sair, você sabe. E neste caso, o que se vazou foi a informação de que João tinha parado. Estávamos todos preocupados com o álbum que seria uma bomba, e quando a notícia se espalhou de que João estava fora, nós seríamos esquecidos. Ninguém vai comprar nosso último LP ou nossos discos antigos”, diz Paul. O argumento decisivo foi um par de críticas negativas publicadas no “The New York Times”, e na revista “Rolling Stones” Eu pensei: “Oh merd….”, ninguém gosta da canção do lado dois. Então, eu chamei Mal [Evans], fui para Detroit e disse para os fãs da faculdade sobre as pistas. Um dos caras telefonou usando algumas das pistas para uma estação de rádio. “Isso foi o suficiente, e as pessoas começaram a falar sobre o assunto”.

Quando as pessoas começaram a procurar pistas, que eram fáceis de detectar, e assim a imprensa americana ficou fascinada com a história. O plano de Brian foi uma perfeição. Não só as vendas de “Abbey Road” que decolaram, mas as pessoas começaram a comprar “O sargento”, “Pimenta “,” Magical Mystery Tour” e ” The White Album” para ver e ouvir as pistas. Paul se escondeu em sua fazenda na Escócia para continuar a alimentar a farsa. Quando um jornalista da revista “Life” finalmente achou ele, Paul disse: “Se eu estivesse morto, eu seria o último a saber.”

Os Beatles e seu círculo interno mantiveram essas pistas em segredo por mais de 30 anos. Não só agora sabemos que os Beatles deliberadamente plantaram as pistas, mas também sabemos que ele era parte de um plano de marketing brilhante formulada pelo empresário Brian Epstein em 1966. Quanto ao porquê de Paul finalmente revelar os segredos por trás do esquema, nunca saberemos se foi um escorregão acidental da sua parte, ou um plano para reacender as vendas do catálogo dos Beatles.

[FIM]

“Plano de marketing perfeito…”


“..ou um plano para reacender as vendas do catálogo dos Beatles”

Impressionante!

Apenas isso.

E o mais curioso disso tudo, é que não é novidade para ninguém que Michael comprou o catálogo milionário dos Beatles, além de já ter gravado uma música com Paul McCartney.

Bruce Spizer é autor do “Beatles”, e historiador que não só tem escrito uma série de livros aclamados pela crítica americana sobre o grupo, mas também tem sido conhecido por contar contos sobre o Dia da Mentira. Este artigo foi publicado originalmente no dia 01 de abril de 2004, na revista Goldmine”

Apenas uma coisa! Você pode acreditar ou não nisso, mas uma coisa é praticamente ÓBVIA: todas essas pistas existem, e todas são ligadas a falsa morte de Paul McCartney.

[i]
[/i]

A história sempre se repete meu caro: tal sinal colocado na capa de um cd PÓS morte, que sugere que tal artista previu sua própria morte, e assim faz os fãs se passarem por loucos.

Por outro lado ninguém sabe explicar usando o método racional, o porquê tais elementos ou pistas existem.

Sim, os fãs são “loucos”

Aliás já repararam a semelhança entre a capa de “Revolver” dos Beatles, e a capa de “Michael” o último álbum de MJ?

E o mais incrível é que o álbum “Revolver” é o 7° da carreira dos Beatles

#reflita



Se você olhar o álbum de “Dangerous” do Michael, e o álbum “SGT Pimenta” dos Beatles, eles também seguem a mesma linha gráfica com elementos espalhados e que supostamente representa algo, assim como símbolos, objetos e que no final parece mais uma “bagunça”

O interessante é que o plano de marketing dos Beatles foi supostamente elaborado no verão de 1966, e logo após isso segue a linha cronológica das Hoax Death abaixo:

Jimmy Morrison morreu 1 de Julho de 1971

Elvis morreu dia 16 de Agosto de 1977

Tupac morreu 7 de Setembro de 1996

E por fim a maior Hoax Death:

Michael Jackson que morreu dia 25 de Junho de 2009

#Interessante…

TODOS sem exceção viram seus discos dobrando em vendas, valem mais morto que vivo, e mandaram sinais em capas de cd para alimentar a loucura dos fãs. Principalmente Tupac e Michael Jackson

O que foi que a Sony disse mesmo? Michael Jackson salvou a Sony

O que La Toya disse sobre a morte de Michael? Michael vale mais morto do que vivo

E Tupac?

“O nome Makaveli é do famoso Nicolau Maquiavel. Maquiavel pregava como estratégia de guerra forjar a própria morte, para enganar os inimigos e depois voltar para dar o bote triunfal”

Se você está se sentindo perdido com algumas informações daqui, favor ler o post “Por que as pessoas forjam a morte?” localizado no banner ao lado.

É óbvio que Michael sabia dessas teorias que envolviam os Beatles, assim como a teoria conspiratória que envolve Elvis Presley. Ou seja: Michael quis morrer com Elvis, e usou a mesma tática dos Beatles para avisar os fãs através de capas de cd, e principalemtne mensagem subliminar. Independente se Elvis morreu ou não, ou se Beatles fez isso ou não. O que é real mesmo, é que a capa de Dangerous e “Michael” está cheia de pistas sobre a Hoax Death. Que tal?

[..]

Você tem duas opções: continue ignorando o ÓBVIO e tampando os olhos mesmo lendo tudo isso, ou pense e reflete seriamente sobre isso aqui.

Enfim,

Os fatos não deixam de existir só porque são ignorados

Se você está errado então é teimosia, mas se você estiver certo, então você está apenas seguindo seus princípios.

Como podem ver, os fãs dos Beatles estavam certos. E nós?

Eu sei que você está ai, eu posso ouvir o seu espanto.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://youaremylife.forumeiros.com/
 
“Paul McCartney admite que os Beatles forjaram a morte dele”, diz matéria
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Paul McCartney ensinando a tocar baixo
» Show do Paul McCartney
» Shows do Paul McCartney no Rio de Janeiro em 2011
» O que dizer do " baixista " Paul McCartney
» Paul McCartney Na Bateria

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
In the Closet :: Is He Alive or Dead? :: Is He Alive or Dead?-
Ir para: